Ponto Cartesiano
18 Mai 2017 - 08h10m

Depois disso,por causa disso. É o caso!! MPC pede suspensão de edital do Previpalmas. Motivo: suposto descumprimento de normas do CMN.

O prefeito Carlos Amastha não passa por  um bom momento. O Ministério Público de Contas, do TCE, pediu a suspensão do Edital do Previpalmas e a declaração de ilegalidade da nomeação do diretor de investimentos do órgão.

A ação do Ministério Público de Contas reflete o ânimo, também, dos conselheiros do Tribunal, às portas de rejeitar as contas da administração do prefeito da Capital, decisivo para suas pretensões eleitorais de 2018. Como apurou ontem este blog no TCE, seriam favas contadas a rejeição das contas metropolitanas.

No caso do Previpalmas, este blog já havia antecipado no mês de março a possibilidade de questionamentos da orientação do Executivo municipal que, com um decreto, tomou, na prática, o comando de um fundo que possui perto de meio bilhão de reais para investimentos.

Menos de dois meses depois, a prefeitura abre o edital para captar investidores, descumprindo normas do Conselho Monetário Nacional, materializando o que este blog previra com dois meses de antecedência. E quem o informa é o Ministério Público de Contas que pede, também, o cancelamento da nomeação do responsável pelas aplicações a serem feitas.

Nada de que o estimado prejuízo de R$ 1 bilhão do Igeprev não pudesse despertar no Executivo municipal (e nos servidores que não se posicionam) um pouco de prudência.

Deixe seu comentário:

© 2015 - luizarmando.com.br - Todos os direitos reservados.