Ponto Cartesiano
10 Out 2017 - 07h03m

Enquanto professores discutem reposição de dias parados, prefeitura diz que corte foi legal sem falar em pagamento. Trabalho escravo ou não?

A Prefeitura segue com sua chantagem com os professores, alunos e pais. Os grevistas se movimentam para apresentar um calendário de reposição das aulas e o Paço Municipal informa que o corte de pontos foi legal.

Entende-se das premissas colocadas a disposição dos professores de repor os dias não trabalhados e a intenção da prefeitura e não pagar pela reposição. Ou não faria uma aposta no diversionismo. E olha que já tem uma ação civil pública tramitando justamente sobre o assunto.

Um conflito que provoca indagação lógica: 1) os professores seriam obrigados a repor trabalho pelo qual não receberam; 2) se não reporem, como a prefeitura fará para cumprir o ano letivo e 3) onde estaria na legislação a obrigação de empregado trabalhar de graça. Ou fazer poupança forçada: corte de pontos imediato e reposição parcelada ou meses depois.

Uma preocupação pública com os resultados na população, indicaria tanto pelo senso comum, bom senso ou a própria lei, que a prefeitura estivesse ao lado dos professores e não em oposição a eles. Ou seja: vamos seguir a lei, se vocês fizerem a reposição, nós pagamos os dias parados!!!

A prefeitura, entretanto, prefere apostar na dúvida e insegurança de professores pais e alunos quanto ao cumprimento da própria lei que ela mesma esgrime para punir os grevistas.

Trabalhar sem receber paga é a mais valia se imaginava fincada no passado remoto que a civilização enterrou, muito bem enterrado. Escravidão.

Deixe seu comentário:

© 2015 - luizarmando.com.br - Todos os direitos reservados.