Ponto Cartesiano
10 Fev 2018 - 02h59m

Governo deve capitalizar aumento das exportações mas deveria fazer uma reflexão: 99% são de produtos primários sem valor agregado e sem imposto

A Federação das Indústrias do Estado divulgou ontem a Balança Comercial do Estado de 2017. São dados relevantes que governos, empresários e população poderiam deles fazer uso em prol da melhoria do desempenho da economia regional e de mudança das desigualdades sociais

É provável que governo e prefeituras amplifiquem uma espécie de pujança da economia observando os números mais por sua amplitude numérica que geoeconômica.

Num país civilizado, ademais, deveria provocar reflexões constatar que 99% das exportações fossem de produtos básicos (primários) e apenas 1% de industrializados.

Na prática, o Estado exportou commodities e empregos dado o valor agregado que se pode inferir das exportações, a expressiva maioria de produtos primários, in natura, como é a soja que, ademais, não gera impostos em função da Lei Kandir.

As exportações demonstram, também, desigualdades. Porto Nacional e Palmas são de longe os municípios com maior valor de exportação e importação. A situação quebra o paradigma de que as maiores produções estivessem na região de Campos Lindos que tem terras consideradas mais férteis.

A explicação pode estar na logística de transporte. O resultado dá pistas dos motivos de a Capital ter o maior PIB per capita do Estado, muito embora registre uma das menores rendas per capita domiciliar.

As exportações (absoluta maioria) foram feitas por via marítima (US$ 939.152.808/FOB/99% das exportações) e que ali chegaram, pode-se deduzir,  via ferrovia Norte-Sul o que explicaria, assim, a decisão econômica dos produtores de se instalar nas suas proximidades.

No estudo da Fieto, Porto Nacional se sobressaiu nas exportações entre os municípios do Tocantins no acumulado de 2017. Com um total de US$ 178 milhões, o munícipio teve 18% de participação no volume exportado em 2017 e crescimento de 109,65% quando comparado com o ano anterior. Este crescimento ocorreu devido ao aumento nas exportações de Soja (395,39%) e Milho (631,04%). Palmas, a capital do Estado, segue em 2º lugar com o total de US$ 158 milhões, tendo 16% de participação nas exportações

Em 2017, a Soja permaneceu como o produto mais exportado. Do total de US$ 951 milhões em exportações, US$ 756 milhões são derivados deste produto correspondendo a 79% entre os principais produtos exportados. Na sequência, a carne bovina (US$ 104 milhões) tem participação de 11%. Já nas importações, o Gasóleo (óleo de diesel) se destaca como o produto mais importado representando 40% do total. Este produto teve crescimento de 464% comparado com o ano de 2016.

Deixe seu comentário:

© 2015 - luizarmando.com.br - Todos os direitos reservados.