Ponto Cartesiano
13 Nov 2017 - 08h17m

Governo gasta 15 vezes no custeio da máquina que os benefícios entregues à população. Um cancro incontrolável

O gráfico que você vê aí em cima demonstra a evolução de despesas com pessoal, outras despesas correntes e investimentos do governo do Estado de 2000 a 2016. Os cálculos são do relatório da Comissão Especial de Reordenamento, coordenada pelo deputado Paulo Mourão e apresentado aos demais parlamentares na semana passada. São dados do Siafem..

Nele se nota que o governo gastava menos R$ 1,5 bilhão com pessoal em 2000 e fechou 2016 consumindo algo próximo a R$ 5 bilhões. Um crescimento de 233%.

Por outro lado, como é observado no gráfico, os investimentos passaram de R$ 1 bilhão em 2000 para pouco mais de R$ 500 milhões em 2016. Uma queda de cerca de 50%.  Outras despesas correntes pularam de R$ 1 bilhão para R$ 2,5 bilhões. Um avanço de 150%.

Não há outra conclusão dedutível dos números: o contribuinte está pagando uma Administração que consome 15 vezes mais do que os benefícios que lhe são entregues pelo poder público.

Uma distorção. Uma inversão de valores. Os impostos existindo para bancar a máquina e não para viabilizar bem-estar. Um cancro.

Deixe seu comentário:

© 2015 - luizarmando.com.br - Todos os direitos reservados.