Ponto Cartesiano
14 Abr 2018 - 07h41m

MDB e os Miranda passando por um revisionismo e uma catarse: não sabe se vai de Dulce ou Brito, ou se apóia Vicentinho ou Damaso

Confirmadas as especulações em curso (e muito bem expostas pelo jornalista Emerson Alencar, na Antena Ligada do Jornal do Tocantins deste sábado) da possibilidade de o MDB apoiar uma candidatura do deputado Osires Damaso ao governo (e não a Vicentinho Alves) na eleição suplementar, o partido estará fazendo um revisionismo e os Miranda sofrendo uma catarse.

O partido se viu dividido na eleição do presidente da Assembléia, deputado Mauro Carlesse, no ano passado entre Osires Damaso e o deputado de Gurupi.O cabo de força entre Brito Miranda e Dulce Miranda teve que pender -  por estrita exigência familiar -para o apoio de Dulce a Carlesse contra as avaliações mais prudentes dos  que enxergavam no Presidente  do Legislativo o que mais tarde a primeira dama e deputada constataria: adversário que Damaso, talvez, não o fosse.

O MDB enfrenta outra catarse. Parte dos emedebistas já começam a ver como possibilidade uma candidatura de Brito Miranda em outubro. Brito é seis anos mais novo que Siqueira (que quer disputar o Senado) e isto faz muita diferença a esta altura. Advogado, ex-promotor, ex-deputado, ex-presidente da Assembléia de Goiás e é o cérebro político do partido e do governo. Muitas questões que hoje Marcelo enfrenta talvez não existissem tivessem passado pelo escrutínio de Brito. Marcelo já havia dado a Brito a coordenação política de sua campanha em outubro antes da cassação.

E aí outro problema: a deputada Dulce Miranda (que poderá candidatar-se em outubro, caso seja mantida a cassação do marido, exigência legal também a Brito) já se movimentaria para ser candidata da mesma forma e com os mesmos métodos com que defenestrou o apoio do MDB a Osires e o entregou a Carlesse: fazendo uso de supostas pressões familiares. Se deu certo lá e continua casada com o Governador não haveria motivos para não obter novo êxito aqui.

Só que no meio disso tem o acaso: como Dulce só pode ser candidata se Marcelo for cassado e cassado não teria mais ascendência para bancar o patrocínio da primeira dama sobre os medebistas, sobraria o poder político do convencimento que Brito exerceu por quase cinco décadas no Legislativo e nos governos de Goiás e Tocantins.

Deixe seu comentário:

3 Comentário(s)

  • ruan douglas | 15/04/2018 | 10:54Lascou, realmente o MDB esta sem nome, ai só vejo salvação na DULCE os demais fracasso total.
  • EVANDRO GOMES RIBEIRO | 15/04/2018 | 08:44https://youtu.be/ZwRHIGusjQU Só em outra encarnação..., chega o povo do Tocantins merece mais do isso.
  • Marcos Lima | 14/04/2018 | 13:06Uma coisa dessa é totalmente fora de lógica, o povo não quer mais essa familia Miranda no poder, tudo tem o seu tempo, o tempo deles passou. Se entrar é pedir para ser derrotado.
© 2015 - luizarmando.com.br - Todos os direitos reservados.