Ponto Cartesiano
11 Nov 2017 - 08h32m

Mourão vê crescimento de arrecadação em índices superiores ao crescimento do PIB uma inconsistência

A única forma de crescimento é através da elevação do PIB. A declaração é do deputado Paulo Mourão sobre artigo neste blog acerca das conclusões da Comissão Especial de Ordenamento Econômico e Político do Legislativo, da qual é o presidente. O relatório foi entregue oficialmente esta semana. Nele, a proposta é estabelecer mecanismos para dobrar o PIB do Estado.

Para Mourão, no Estado o descompasso do crescimento da receita tributária acima do crescimento do PIB (como aponta o relatório) é extremamente preocupante porque revela elevada carga tributária para uma economia que não produz o equivalente.

“O Tocantins tem uma das maiores cargas tributárias do país”, pontuou o parlamentar citando as alíquotas aplicadas nos setores da economia. “Só temos margem agora nos cigarros, a única em que estamos com alíquotas menores que no restante do país”.

Segundo ele, na tributação nos combustíveis, energia e comunicação (os maiores arrecadadores), o Tocantins está no topo da lista das maiores alíquotas. Para ele, isto tem desdobramentos diretos na economia e no consumidor.

Para Paulo, o não crescimento do PIB influencia também nos empregos, que é resultante de uma equação em que se tem PIB/população/mercado. Ele cita que, mesmo com o avanço das receitas, há ainda um descompasso. Segundo ele, a arrecadação cresceu apenas 3% contra um crescimento de 8% nos repasses de FPE.

Deixe seu comentário:

© 2015 - luizarmando.com.br - Todos os direitos reservados.