Regional
12 Jun 2018 - 07h49m

Documentos aprendidos pela PF mostram que governo abriu 162 processos para pagar R$ 18,6 milhões de emendas

Entre as mais de 8 mil folhas de documentos apreendidas pela PF (Polícia Federal) na operação do final do mês de maio nas secretarias da Fazenda, da Agricultura e de Desenvolvimento Econômico do Estado, estão 162 processos de convênios do governo com entidades, associações e institutos para pagar R$ 18,6 milhões em emendas parlamentares. Vários desses processos tiveram andamento nos meses de abril e maio, quando já havia decisão judicial impedindo pagamentos não prioritários por parte do governo estadual.


As emendas, na grande maioria, cobririam gastos com shows, festas, eventos esportivos, religiosos e atividades de recreação, isso em um período que o governo está há mais de um ano sem poder pagar os salários dos servidores na data correta, com atraso de pagamento de serviços essenciais, viaturas das forças policiais sem combustível, entre outros temas.
Além disso, o governador interino e candidato na eleição suplementar, Mauro Carlesse (PHS), estava proibido de fazer convênios de transferências voluntárias com os municípios, o que não foi respeitado. Alguns dos processos de emendas que avançavam eram propostas do próprio Carlesse quando ele era deputado estadual.


Outro ponto que se vê na documentação é que várias das emendas tiveram parecer contrário das assessorias jurídicas ou da própria PGE (Procuradoria Geral do Estado), mesmo assim secretários de Estado faziam os processos andarem, opinando a favor dos pagamentos. Do total, 37 emendas foram empenhadas depois das decisões judiciais e só não foram pagas por causa da operação da Polícia Federal.

 

Pagamentos a empresas e prefeituras “aliadas”

Nos documentos foram encontrados, ainda, pagamentos de exercícios anteriores, já sob o comado de Carlesse, a empresas que nada têm de serviços prioritários, como os R$ 3,75 milhões para a Prime Solution Soluções em Impressões (do grupo WR, em Palmas).
O governo, também, fez pagamentos para Araguaína, Tocantinópolis e outras cidades nas quais os prefeitos dão apoio político a Carlesse na tentativa de se manter à frente do Palácio Araguaia. (da assessoria do PR)

Deixe seu comentário:

1 Comentário(s)

  • Welgues Luiz da Silva | 12/06/2018 | 10:19Sou a favor de que se investigue a fundo isso, porém não é justo eu quanto empresário ter que bancar despesa de estrutura, mais despesas de bandas pra receber 2 anos depois isso sim é uma vergonha, estamos financiando governo, prefeituras e tem gente que não vê o lado só empresário sério e honesto,muitos estão quebrados empresas fechadas que encestaram tudo e agora não tem nada pq não receberam...
© 2015 - luizarmando.com.br - Todos os direitos reservados.