Ponto Cartesiano
15 Mai 2018 - 13h20m

Garis deixam de recolher lixo pela 2ª vez em quatro meses na Capital. Se é falta de pagamento da prefeitura, não o é por escassez orçamentaria

Os garis entraram em greve pela segunda vez este ano. Reclamam falta de pagamento de salários. O racional é que a empresa, estivesse sendo paga corretamente pela prefeitura, não deixasse atrasar as remunerações, especialmente de uma turma de salário mínimo.

A prefeitura de Palmas nos últimos cinco anos não tem sido boa pagadora na exata proporção do que cobra. No Portal das Transparências do Executivo municipal, para saber como e onde a prefeitura gasta os recursos dos impostos, tem-se que somar e separar hoje, por exemplo, 13.719 itens. Uma situação criada justamente para inibir a informação e o conhecimento dela, desvirtuando a finalidade do portal, uma obrigação determinada por lei de acesso ao público.

Nas receitas tem-se que a Prefeitura já arrecadou o equivalente a R$ 464 milhões (de um orçamento anual de R$ 1,2 bilhões) em quatro meses. A prefeitura não publicou o balanço do primeiro quadrimestre, tem até 30 de maio para fazê-lo.

Observando, entretanto o que publicou no primeiro bimestre e a arrecadação até hoje, as receitas estão acima da previsão orçamentária no quadrimestre, tirando-a pela média mensal do orçamento anual de R$ 1,2 bilhões

No relatório do primeiro bimestre, a prefeitura contabilizou despesas de R$ 134 milhões. Pode, pela média, ter fechado o quadrimestre, portanto, gastando R$ 268 milhões. Ou seja, despesas abaixo do previsto no orçamento. Um superávit primário de R$ 168 milhões.

Isto indica que a prefeitura ou pisou o pé no freio ou não está pagando fornecedores e prestadores de serviço, jogando a grana em outro buraco. Afinal, prefeito nenhum que ser tachado de caloteiro.

A prefeita Cíntia Ribeiro degustando a sua herança.

Deixe seu comentário:

© 2015 - luizarmando.com.br - Todos os direitos reservados.