Ponto Cartesiano
13 Jun 2018 - 06h46m

Governo e prefeitura sem poder fazer empréstimos ou firmar convênios até de emendas. Mas para eles vai tudo bem. Ou seja, nossa oroboros do bem!!!

Governo e prefeitura de Palmas faltando com a verdade.  Ambos estão sem o Certificado de Regularidade Previdenciária (como o leitor do blog já foi informado) mas declararam ao Jornal do Tocantins desta quarta que estão trabalhando para resolver as pendências (governo) e fazendo diligências para solucionar as pendências (a prefeitura).

O governo está sem CRP (e impedido de fazer convênios com a União, empréstimos com bancos federais, receber avais para operações de crédito e firmar convênio para receber emendas parlamentares) desde o dia 12 de maio. Ou seja, aquele empréstimo que Mauro Carlesse prometia dividir R$ 1 milhão para cada prefeito na campanha eleitoral, nem assim sairia.

Está negativo porque venceu a certidão que havia conseguido em 13 de novembro de 2017 por decisão judicial. Isto porque pela Lei de Responsabilidade Fiscal não o teria em função da apropriação das contribuições do Igeprev (tanto dos servidores como patronal). Expediente e inadimplência mantida por Carlesse que ainda não pagou nada ao Igeprev, como está no balanço de janeiro a março. Já negociou quase uma dezena de vezes nos últimos três anos e não cumpre. No balanço do primeiro quadrimestre de 2018, é registrado um resultado previdenciário negativo de R$ 185 milhões e uma dívida de R$ 529 milhões do governo com o fundo dos aposentados.

Há ainda as aplicações feitas pelo governo de Siqueira Campos (a caldeira do barco a vapor da campanha de Carlesse ao governo) em fundos podres e acima do permitido pela legislação. Para enquadrar-se, os fundos teriam que aumentar o capital e o governo não pode resgatar o dinheiro em função do prazo dos contratos “inteligentes” assinados pelo governo de Siqueira. Alguns até mesmo já foram liquidados pelo Banco Central pelas falcatruas que realizavam. Como as aceitas pelo Igeprev no governo Siqueira.

Já Prefeitura também ameniza a questão. Na verdade, Cíntia Ribeiro herdou um abacaxi de Carlos Amastha. Alertei sobre isto aqui. A prefeitura está sem CRP desde o dia 21 de abril. A prefeitura está amarrada por causa daquelas aplicações de R$ 50 milhões do Previpalmas em fundos podres e desenquadradas. Não se sabe para onde a grana foi e o presidente da Câmara, José do Lago Folha, permanece na posição vergonhosa de não investigar o duto de desvio de recursos públicos.

Ou Cíntia consegue uma decisão da Justiça (como conseguiu o governo no ano passado) ou os fundos aumentam o seu capital. Algo difícil diante das operações da Polícia Federal no fundo Cais Mauá, onde o ervanário foi aplicado, agravado pelo prejuízo de R$ 51 milhões que o fundo amargou como publicado no seu balanço este ano.

Governo e prefeitura, com a atual carga política e suas intençoes, são nossa oroboros. Estão comendo a população por dentro. Devorando seus esforços e suas riquezas.

Deixe seu comentário:

© 2015 - luizarmando.com.br - Todos os direitos reservados.