Ponto Cartesiano
14 Set 2018 - 06h41m

Idealismo e pragmatismo na política no Estado, a abordagem que fiz, a convite da Universidade Católica, ontem a estudantes de Administração

A convite da Universidade Católica do Tocantins participei ontem do IV Management & Meeting. Falei a estudantes do curso de Administração daquela Instituição sobre a História da Política no Estado do Tocantins e também participei de debates sobre fake-news, com o juiz eleitoral Márcio Gonçalves Moreira, procurador da República, George Neves Lodder e jornalista Cléber Toledo. Um evento coordenado anualmente pela professora Luzinete Almeida.

Um dia especial quando pude discorrer sobre a criação do Estado (sob o ponto de vista político) e atuais circunstâncias por que passam a sociedade política e popular Tocantins. Abordei a mudança de paradigmas na política, cujo Estado foi criado a partir de um idealismo e hoje a classe política o substituiu por pragmatismo que o contraria.

Avaliação possível de se constatar com a exclusão dos idealistas da criação do Estado do seu processo de discussão e desenvolvimento e, em justaposição,  a prevalência, na política atual, de métodos pragmáticos (e pessoais) de administração pública e de captação de apoio político.

Uma situação que, avalio, presente no próprio processo de criação do Estado, quando se registra na história o pragmatismo de Siqueira Campos na assinatura da emenda constitucional e suas ações governamentais na implantação prática da unidade federativa. Excluíndo-se, na prática, dos registros históricos, os ideais e idealistas que construíram todo o processo até chegar ao Congresso.

Deixe seu comentário:

© 2015 - luizarmando.com.br - Todos os direitos reservados.