Ponto Cartesiano
12 Set 2018 - 11h12m

Palácio pagou este ano R$ 401 milhões de despesas com pessoal de exercícios anteriores. Mas deveria ainda R$ 214 milhões de contribuições

O governo ainda não publicou o balanço do segundo quadrimestre de 2018. Os números (como o leitor deste blog já foi apresentado) apontam para crescimento do comprometimento RCL/Despesas com Pessoal, comparado aos 58,22% do primeiro quadrimestre. O governo, antes de publicá-lo, já informou que pode ter freado o viés de crescimento. Já é algo.

Essa equação é perfeitamente previsível. Ainda que o Fisco tem colocado receitas nos cofres do tesouro, superando as metas mensais acima da inflação, igual variação é possível notar nos gastos.

O governo atual, por exemplo (www.transparência.to.gov.br) já pagou o equivalente a R$ 401 milhões de despesas com pessoal de exercícios anteriores. Na verdade, é a prova material de que o governo de Marcelo Miranda praticava crime de responsabilidade de forma recorrente.  Isto aí revela, grosso modo, que contabilizou este ano, despesas de anos anteriores.

Outra questão derivada da farra fiscal é possível detectar no pagamento das obrigações patronais (INSS, Igeprev). De um total de R$325 milhões empenhados de janeiro a agosto (obrigatório o empenho da folha bruta, embora o governo só pague o líquido) e só quitou (pagou) R$ 111 milhões.

De outro modo: o governo (sem contabilizar as dívidas negociadas e não pagas) já deveria, só este ano, o equivalente a R$ 214 milhões de contribuições sociais. Evidentemente que uma conta a ser dividida entre Mauro Carlesse (cinco meses) e Marcelo Miranda (três meses).

Deixe seu comentário:

© 2015 - luizarmando.com.br - Todos os direitos reservados.