Ponto Cartesiano
07 Ago 2018 - 08h55m

Sem Stalin e Roberto Jeferson, Amastha não governa. É o que se deduz da justificativa do ex-prefeito para renunciar candidatura. Se faz sentido?

Tem o valor de uma nota de três a justificativa do ex-prefeito Carlos Amastha para renunciar à candidatura ao governo. Primeiro porque o ex-deputado Zé Geraldo (um dos motivos alegados) estava completamente fora do processo político, com ativos de menos para exigir uma vaga de vice-governador. Está aí sem mandato ou cargo político.

Ademais, Amastha – que prega moralidade na administração pública - alegar que sem o PTB (Roberto Jeferson) seu projeto estaria comprometido, é uma piada pronta. O PTB tem meros 49 segundos de tempo de propaganda. A não ser que Amastha mirasse a régua moral do ex-deputado fluminense. E no Estado não tem sequer um deputado.

E que dizer do PC do B. Amastha teria perdido sua porção marxista com a saída do partido de sua aliança. São 15 segundos de propaganda.  Ora o PC do B foi formado pela dissidência do Partido Comunista, mais alinhada ao stalinismo. O maluco que exterminou 10 milhões de pessoas que não concordavam com sua práxis política.

Olhando pelo determinismo histórico, talvez faça algum sentido o ex-prefeito deixar a candidatura por tais motivos. A cartilha do PC do B daria suporte em nível estadual à práxis política que seguiu na administração municipal.

Talvez quisesse apropriar-se da Guerrilha do Araguaia e das artimanhas de um velho maluco, Joâo Amazonas, que jogava estudantes na mata na Amazônia, enquanto curtia boa vida em São Paulo e Rio de Janeiro.

Isto aí, se considerássemos que Carlos Amastha tivesse algum princípio lógico, uma prática política subordinada a uma práxis.

No popular, Amastha pode ter caído fora por dois motivos: os processos judiciais em curso ou para juntar o grupo, dividindo-o.  Já que sabia perfeitamente a barafunda que criaria e as dificuldades impostas aos aliados para substituir o cabeça de chapa com prazo tão exíguo.

Ah: no ano passado Amastha chegou a declarar que candidataria mesmo que fosse só com o seu partido. Se não conseguisse entabular aliança com um grupo que concordasse com o seu projeto político.

Deixe seu comentário:

1 Comentário(s)

  • José Aguinaldo Borges | 07/08/2018 | 12:00Acho que você errou feio nos dois motivos apontados para desistência da candidatura. Sabe de nada inocente!!
© 2015 - luizarmando.com.br - Todos os direitos reservados.