Ponto Cartesiano
17 Fev 2018 - 08h55m

MDB propaga Derval na majoritária mas pode estar querendo apenas diminuir o valor de mercado de potenciais aliados

O MDB é muito previsível. Fez circular nos últimos dias a especulação de que o presidente regional do partido, Derval de Paiva, seria um dos nomes para senador na chapa majoritária.

O MDB e Marcelo Miranda sabem que a reeleição do Governador passa necessariamente pela formação de uma chapa ´majoritária competitiva com partidos de maior densidade eleitoral. E o MDB tem para cooptá-los a máquina e os cargos.

Precisa de líderes, tempo de propaganda e fundo eleitoral. Tem as duas vagas de senado (com seus suplentes) e a vice-governadoria. Entregar um desses a um correligionário, é perda de possibilidade de ativo. Ganho partidário negativo.

Na verdade, o governo tem o orçamento, mas carece de partidos e líderes, não atuou politicamente nos últimos três anos. Isto faz com que os partidos e candidatos com densidade eleitoral fora do MDB aumentem de valor no mercado eleitoral.  Simples lei de oferta e procura.

O lançamento de Derval (ainda que um político considerado honesto, ex-deputado, de retórica e oratória consistentes) se prestaria a demonstrar que o Palácio teria opções que não aqueles que lhe são próximos por gravidade e com maior densidade: Cesar Hallun, Ataídes de Oliveira, Ronaldo Dimas e Vicentinho Alves. E com isto diminuir-lhes o preço político.

É se tem à luz da razão.

Deixe seu comentário:

© 2015 - luizarmando.com.br - Todos os direitos reservados.